Entregador Pula em Piscina Para Salvar Cachorro Que Está se Afogando

Entregador Pula em Piscina Para Salvar Cachorro Que Está se Afogando

No mês passado, John Cassabria estava entregando pacotes, quando ouviu um barulho incomum. Ele abriu a porta de sua van para ouvir – mas ainda não conseguia identificar o que era e de onde vinha aquele barulho.

“O barulho que ouvi ainda era indescritível”, disse Cassabria. “Foi algo como um ataque de sereia misturado com uivos – como o vento uiva através dos galhos das árvores.”

Por ser uma pessoa curiosa por natureza, Cassabria decidiu seguir o barulho, que o levou a uma cerca em torno de uma casa. Lá, ele avistou a origem do som estranho – um cachorro preso em uma piscina, gritando por socorro.

Um husky de 14 anos chamado Luka estava nadando na água por um tempo desconhecido e estava exausto demais para se segurar por mais tempo.

“Assim que soube o que era, o som deixou de ser interessante, tornou-se alarmante”, disse Cassabria. “Meu coração afundou. Eu não tinha certeza até que fisicamente o alcancei, e tudo que eu conseguia pensar era em tirá-lo da piscina e me certificar de que ele estava seguro.

Cassabria pulou na água enquanto ainda calçava os sapatos e conseguiu içar o cachorro para terra firme.

“Depois que ele saiu da piscina, ele ficou muito abalado, com muito medo”, disse Cassabria. “Ele não queria que eu saísse do seu lado. Cada vez que eu ia me levantar, ele me batia com a pata ou me cutucava – então eu ficava com ele o tempo todo. ”

Cassabria ligou para o controle de animais e esperou com Luka por uma hora e meia. O oficial de controle de animais era vizinho dos proprietários e ligou para eles para informar sobre o resgate.

O cão mais velho tinha se metido em problemas antes da chegada das pessoas da casa – e se Cassabria não estivesse lá para salvar o dia, as coisas teriam terminado de forma muito diferente. A dona de Luka, Lucy Cadwell, agradeceu muito a Cassabria.

Cassabria, que tem quatro cães, ficou muito feliz por estar no lugar certo na hora certa para ajudar um cão necessitado.

“Eu sei que muitas pessoas têm usado as palavras ‘heroico’ e ‘herói’, e talvez seja eu sendo modesto, mas um mês depois, ainda não me vejo como um herói”, disse Cassabria. “Eu me vejo como uma pessoa que fez o que qualquer dono de cachorro teria feito.”



VEJA TAMBÉM




Envie seu comentário