Com dor no coração cãozinho uiva desesperado ao lado do caixão de seu amado dono

Com dor no coração cãozinho uiva desesperado ao lado do caixão de seu amado dono

A vida nos muda para melhor quando vivemos com animais. A verdade é que sua presença faz tudo parecer mais fácil. Eles são capazes de nos preencher com um amor tão puro e incondicional, que é capaz até de cruzar as fronteiras que nos separam do outro mundo.

Aqui você vai ver uma história que nos fala sobre o nível a que a fidelidade canina pode chegar, daquele imenso amor que nossos amados animais de estimação têm por nós. É sobre um cachorrinho que após a morte de seu humano, não se mexeu do caixão, e até chorou a saída de seu ente querido.

“Ele chorou como quem perdeu um ente querido”, disse o dono da funerária naquele dia.

Arranhou o caixão como se estivesse tentando acordá-la

E é que, ao longo de sua vida, este fiel cachorrinho se esforçou ao máximo para estar ao lado de sua cuidadora, para abraçá-la e confortá-la nos momentos difíceis, para defendê-la quando necessário. Toy demonstrou amplamente que essa união sobreviveria além da morte.

Ele foi adotado ainda filhote e sempre foi tratado como um filho.

A cena comovente foi capturada por Jailson Almeida , dono da casa funerária onde o corpo foi velado, localizada em Camaçari, na Bahia. E assim ficou conhecida a extraordinária amizade de Toy e Dona Luzinete Lopes Diniz, mulher de fé, muito conhecida e amada em seu bairro.

Dona Luzinete faleceu após sofrer um ataque cardíaco

Mas, entre tantos que a amaram e compareceram para lhe dar o último adeus, houve um em particular que manifestou todo o seu carinho até ao final da cerimónia: Toy que era seu filho compreendeu que seria a sua última oportunidade de estar com sua amada mãe e ele queria aproveitar ao máximo.

“Foi uma demonstração digna de gratidão e respeito pelo seu ente querido. Não queria que alguém se aproximasse do caixão ”, acrescentou Jailson.

Além disso, o homem descreveu como as pessoas ao redor ficaram surpresas ao ver a reação do cachorrinho, que, além de não os deixar chegar perto, estava realmente muito chateado.

Uivava desconsolado, parecia sofrer muito com a perda da sua querida Dona Luzinete. Algo realmente inusitado para muitos dos participantes, mas muito bonito, sem dúvida.

Todos testemunharam que se o nobre animal se recusou a se separar de sua amada Luzinete até o fim, foi porque ela esbanjou em Toy o mesmo amor na vida que todo cachorro merece.

Essa bela história nos remete à do cachorro de Abraham Lincoln , que corria desesperadamente pela Casa Branca minutos antes de seu assassinato, ou ao cachorro de Lord Carnarvon, descobridor da tumba de Tutankhamon , que horas após a morte do arqueólogo uivou até morrer.

Compartilhe esta história com seus amigos, familiares e entes queridos. Definitivamente, o vínculo que se cria entre um cão e um ser humano às vezes pode ir além das fronteiras deste mundo.

Envie seu comentário